----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

segunda-feira, 30 de julho de 2012

FÓRUM SUSTENTABILIDADE & GOVERNANÇA


Leia a opinião dos palestrantes sobre os temas que serão abordados no evento:

David Canassa, Gerente Corporativo de Sustentabilidade da Votorantim, sobre os aspectos
que atuam como entraves à execução de projetos e investimentos em eficiência energética:
"Para que os projetos virem realidade, precisamos de engenharia financeira, desburocratização
e leis facilitadoras".

Devido à riqueza ecológica da América Latina, muitos olham para nossa região em busca de
modelos de sustentabilidade”, Roberto Dumas do Itaú BBA

Participe e aproveite o valor promocional para inscrições antecipadas:



quarta-feira, 25 de julho de 2012

Curso GRI em São Paulo

Relatório de Sustentabilidade GRI


O relatório de sustentabilidade é a principal ferramenta de comunicação do desempenho social, ambiental e econômico das organizações. O modelo de relatório da Global Reporting Initiative (GRI) é atualmente o mais completo e mundialmente difundido.

Seu processo de elaboração contribui para o engajamento das partes interessadas da organização, a reflexão dos principais impactos, a definição dos indicadores e a comunicação com os públicos de interesse.

Em 2007, a GRI iniciou o processo de construção do treinamento oficial para elaboração dos relatórios de sustentabilidade com base no modelo da entidade. O UniEthos, o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) e a BSD formaram uma parceria para se credenciarem para a realização do curso certificado pela GRI. Em fevereiro de 2008, a parceria das três entidades foi a primeira do mundo a alcançar a certificação. Em abril de 2008, o Uniethos realizou a primeira turma do curso Relatórios de Sustentabilidade GRI certificado pela Global Reporting Initiative.

A GRI foi criada com o objetivo de elevar as práticas de relatórios de sustentabilidade a um nível de qualidade equivalente ao dos relatórios financeiros. O conjunto de diretrizes e indicadores da GRI proporciona a comparabilidade, credibilidade, periodicidade e legitimidade da informação na comunicação do desempenho social, ambiental e econômico das organizações.

A GRI empenha-se na melhoria constante das diretrizes e na sua adoção por diferentes países. Atualmente, mais de 1000 empresas produzem seus relatórios com base na terceira geração do modelo GRI-G3.1.


DEMAIS INFORMAÇÕES


Próxima turma: 8 e 9 de agosto de 2012 (inscrições abertas)
Duração: 16 horas (2 dias consecutivos)
Horário: das 8h às 17h
Local: São Paulo, SP
Investimento: R$ 2.250,00 (para empresas não associadas ao Instituto Ethos)

Para mais informações, entre em contato pelo e-mail

atendimento@uniethos.org.br
ou pelo telefone (11) 3897-2439. Horário de atendimento: das 9h às 18h, de segunda à sexta.

Curso ISO 26000 - São Paulo (06 e 07 de agosto)

Norma Internacional ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social


O reconhecimento pelas empresas de ser necessário realizar mudanças na gestão dos negócios representa um grande avanço. O desenvolvimento da norma ISO 26000, além de ser uma clara evidência desse reconhecimento, contribui para superar as dificuldades nos setores resistentes ao entendimento de que a responsabilidade social trata do conjunto das atividades da organização, e não apenas da participação das empresas na solução de problemas sociais das comunidades.

A publicação da norma ISO 26000 é uma grande conquista para o movimento de responsabilidade social, mas também lança um grande desafio aos atores envolvidos: a implementação de fato de suas orientações.

A ISO 26000 é inovadora em muitos sentidos, tanto no seu formato quanto no seu conteúdo. A norma foi desenvolvida com intenção de contribuir para consolidar o entendimento sobre responsabilidade social melhorando a relação entre as práticas locais e globais, ampliando a responsabilidade pela cadeia produtiva e o engajamento de stakeholders.

É importante destacar que a norma reforça a visão da responsabilidade social como uma contribuição para o desenvolvimento sustentável da sociedade. Uma abordagem já trabalhada e defendida pelo Instituto Ethos.

OBJETIVO
Ampliar o conhecimento dos participantes sobre a norma ISO 26000 como referência para implementação da Responsabilidade Social Empresarial (RSE).

A QUEM SE DESTINA
Profissionais de empresas que tenham interesse em conhecer a norma ISO 26000 e obter referências para a implementação de suas orientações.

CONTEÚDO
Panorama geral sobre os capítulos – explicação sobre o escopo da norma, compreensão da RSE, princípios da RSE, reconhecimento da RSE e engajamento de partes interessadas, orientações gerais sobre os temas centrais da RSE, orientações sobre a integração da RSE em toda a organização e exemplos de iniciativas e ferramentas voluntárias para a RSE.


DEMAIS INFORMAÇÕES

Próxima turma: 06 e 07 de agosto de 2012 (inscrições abertas)
Duração: 16 horas (2 dias consecutivos)
Horário: das 8h00 às 17h00
Local: São Paulo, SP

Investimento: R$ 2.250,00 (para empresas não associadas ao Instituto Ethos)
Descontos: 20% para associados ao Instituto Ethos, 5% para inscrições em mais de um curso, 5% para grupos acima de 3 pessoas (observação: descontos cumulativos)



Para mais informações, entre em contato pelo e-mail
atendimento@uniethos.org.br
ou pelo telefone (11) 3897-2439. Horário de atendimento: das 9h às 18h, de segunda à sexta.


Curitiba sediará o Fórum Sustentabilidade & Governança nos dias 21 e 22 de agosto.


Governança e Sustentabilidade em pauta

Muito tem se falado sobre sustentabilidade. O tema tem gerado muitas iniciativas positivas no que diz respeito a novas tecnologias industriais, novas práticas de gestão dos negócios, novas formas de relacionamento no setor público e privado, além de mudanças no comportamento humano. Baseada nesse contexto a STCP – Engenharia de Projetos programou para os dias 21 e 22 de agosto, em Curitiba, o Fórum de Sustentabilidade & Governança. O evento reunirá presidentes e executivos de grandes empresas e bancos que irão explorar o que há de novo e positivo, exemplos que merecem ser discutidos, bem como apresentar perspectivas.

O objetivo do evento é discutir as tendências, perspectivas e casos de sucesso na gestão da sustentabilidade nas empresas e envolver o setor privado, mostrando como as grandes corporações praticam a sustentabilidade no seu dia a dia, saindo do escopo do meio ambiente e entrando na cadeia produtiva de cada negócio. “Uma nova governança vem se estabelecendo, aos poucos, nas muitas relações humanas, deslocando-se do fundamento de ‘comando e controle’ para processos participativos de diferentes intensidades e níveis de abrangência, muitas vezes imperceptíveis. Estes são, por exemplo, muitas vezes os casos dos comitês e conselhos de sustentabilidade e também dos regimes de certificação com avaliações de terceira parte independentes. Esta fronteira de mudanças positivas que vivemos é o foco e a essência do Fórum Sustentabilidade & Governança”, destaca Joésio Siqueira, vice-presidente da STCP – Engenharia de Projetos.

“Este evento têm dois objetivos estratégicos. O primeiro é propiciar a abordagem conjunta dos dois temas – Sustentabilidade e Governança. O segundo é conhecer as novas tendências de negócios sustentáveis por meio dos estudos de casos que serão apresentados pelos executivos das importantes empresas que participarão do Fórum”, explica Miguel Milano, da Milano Planejamento e Consultoria.

Participarão dos painéis e debates a chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann,Arthur Grynbaum, de O Boticário; Jorge Samek, da Itaipu Binacional;Paulo Monteiro, do Grupo EBX; David Canassa, da Votorantim Industrial; John Gardner, da Novellis; Camila Valverde, do Walmart Brasil; José Luciano Penido, da Bracelpa e Fibria; Roberto Dumas Damas, do Banco Itaú BBA; StphenRumsey, da BV Rio; Bruno Mariani, da Symbiosis Investimentos; Ricardo Abramovay, da FEA/USP; Ricardo Bayon, da EkoAsset Management; Markku Simula, da ArdotOy; Manuel Martins, da Fundação Vanzolini; Alice Alexandre, do Instituto Life e Miguel Milano da Milano Planejamento e Consultoria, também realizadora do evento.

Serviço:
Fórum Sustentabilidade & Governança
Dias 21 e 22 de agosto
Local: Hotel Pestana – Curitiba
Mais informações e inscrições:
http://www.sustentabilidadegovernanca.com.br/

Fonte: INTERACT Comunicação Empresarial
Jornalista Responsável: Vanda Ramos

Encontro Art of Hosting - Lideranças Colaborativas - Curitiba

Saibma mais: aoh.curitiba@gmail.com 

MBA de Gestão em Sustentabilidade Corporativa



FESP abre inscrições para MBA de Gestão em Sustentabilidade Corporativa


A presidente Dilma Rousseff disse durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio + 20) que o grande desafio é encontrar um modelo que combine desenvolvimento sustentável, crescimento econômico e inclusão social.

Pouco menos de completar um mês do evento realizado no Rio de Janeiro, a Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP) estruturou e já disponibiliza o MBA Gestão em Sustentabilidade Corporativa.

O curso é coordenado pelo professor Pedro Salanek Filho com previsão de início no dia 11 de setembro. A onda de sustentabilidade acabou se tornando um conceito necessário para o mercado, principalmente por exigir novas posturas daqueles que trabalham na área de gestão.

As inscrições já estão abertas e para conhecer mais detalhes sobre o curso acesse o link do MBA de Gestão em Sustentabilidade Corporativa.

Fonte: Kelson Henrique (Fesp)

MBA - Planejamento Estratégico e Sustentável em Energia - Universidade Positivo

A Universidade Positivo está ofertando o curso de especialização Lato Sensu em MBA – Planejamento Estratégico e Sustentável em Energia, com início previsto para 08/2012 e término em 12/2013. As aulas serão ministradas as sextas-feiras (19:00 às 22:50) e aos sábados (08:30 ás 17:30) com intervalos semanais intercalados ao término de cada disciplina.

O Objetivo do Curso é capacitar profissionais que atuam nas empresas e indústrias em geral ou no setor de energia e que necessitam de conhecimentos teóricos e práticos com relação a administração dos recursos energéticos.

O Curso é destinado a Profissionais que exerçam funções para as quais é indispensável visão panorâmica do setor de energia, com ênfase no elétrico. Gestores e Analistas que percebam a importância do aprofundamento do conhecimento da regulamentação do setor energético no seu desenvolvimento profissional. Profissionais liberais diversos que visam abrir novas possibilidades de atuação. Egressos de cursos superiores das áreas das Engenharias, Direito, Administração, Economia, e Profissionais das Áreas Tecnológicas.

O curso está organizado em 13 (treze) disciplinas que serão ministradas por profissionais mestres e doutores com experiência na indústria e no mercado de energia e sustentabilidade, com uma carga horária total em sala de aula de 400 horas, mais estudos dirigidos e seminários sobre os temas Energia e Sustentabilidade.

As inscrições deverão ser realizadas diretamente no site do Curso: http://www.posup.com.br/conteudo/4648/mba---planejamento-estrategico-e-sustentavel-emenergia.aspx

Versão digital da Edição 28 - Geração Sustentável

Veja as matéria que você encontrará nessa edição:

Matérias:
Entrevista: Humberto Cabral (Embafort)
Matéria de Capa: Rio+20 – Economia Verde
Caderno Especial: Soja tem gestão ambiental personalizada
Visão Sustentável: Software de Gestão corporativa promove autossustentabilidade
Responsabilidade Social: Responsabilidade empresarial com futuro
Tecnologia e Sustentabilidade: Energia solar: um sonho de consumo (Solbravo S/A)
Desenvolvimento Local: A sustentabilidade como profissão

Artigos:
Ivan Dutra: Subsídios do goveno brasileiro
Jeronimo Mendes: Aprendendo com a crise
Marco Zarpelon: Sustentabilidade na Construção Civil

terça-feira, 24 de julho de 2012

Versão digital da Edição 27 - Geração Sustentável

Veja os conteúdos dessa edição:

Matérias:
Capa: Pensamento Sistêmico e Visão Estratégica
Entrevista: Ozires Silva
Tecnologia & Sustentabilidade: Sustentabilidade comprovada em rótulo (Sustentax)
Visão Sustentável: Excesso de iimpostos e importações ameaça a indústria têxtil brasileira
Responsabilidade Social: Pelo Futuro das Empresas
Empreendedorismo: Iniciativa de inclusão transforma a vida das pessoas por meio do empreendedorismo

Artigos:
Julianna Antunes: A sustentabilidade corportaiva ainda é uma escolha?
Daniella MacDowell: Quem é o profisisonal de sustentabilidade?
Jeronimo Mendes: O que é ser sustentável




sexta-feira, 20 de julho de 2012

ECO Business 2012 reúne as empresas mais sustentáveis e inovadoras no Brasil

Mostrar que a sustentabilidade está presente nas estratégias de grandes companhias é o foco da 5ª edição da ECO Business, evento que será realizado na capital paulista, em agosto.

Há alguns anos os brasileiros experimentam um momento de crescimento da economia nacional, o que resultou no aumento do poder de compra da população, que consome mais, gera mais resíduos e requer atitudes mais sustentáveis por parte das empresas e do governo. Cada vez mais, as companhias buscam medidas e estratégias para incorporar aspectos relacionados à sustentabilidade, a fim de atender a essa nova demanda e também economizar recursos. Para auxiliá-las, a ECO Business 2012 preparou um Congresso que alia cases de sucesso de grandes empresas e especialistas acadêmicos, que mostrarão que é possível realizar negócios sem perder a sustentabilidade de vista.

O evento, que será realizado de 14 a 16 de agosto, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, é uma realização da MES Eventos, promovida pela Mastran Business Fairs e conta com a direção de conteúdo da GreenBusiness Brasil. “Elaboramos esta edição da ECO Business com o intuito de munir os executivos e os tomadores de decisão de ferramentas que permitirão que desenvolvam estratégias para atender o novo consumidor brasileiro e a geração Y, que está cada vez mais exigente, com relação aos produtos que consome”, afirmou Guilherme Brammer, diretor de conteúdo do Congresso.

Durante os três dias, o evento contará com mais de 30 palestras de grandes empresas, como  P&G, Dow, Suzano, Camargo Correa e personalidades, como Gilberto Dimenstein, Rachel Biderman e Tião Santos. No primeiro dia, as discussões estarão focadas nas expectativas da geração Y e da nova classe média brasileira e como grandes empresas como a Natura, Diageo, PepsiCo, entre outras, se adaptaram a essa  nova realidade.

O segundo dia discutirá sobre as ferramentas para atender a essa nova demanda e abordará temas como análise de ciclo de vida de produto, inventários de emissão de CO2 e inovação voltada à sustentabilidade. Além de cases da Suzano, 3M, Mars e outras, o dia também será marcado pela participação de Tião Santos, que participou do filme Lixo Extraordinário, que concorreu ao Oscar em 2011.

No último dia, o congresso apresentará as tendências para os próximos anos e como essas novidades podem interferir nos negócios. Os congressistas discutirão como a economia criativa, o consumo colaborativo e o design para a sustentabilidade estão mudando as estratégias das companhias. Um resumo da Rio+20 também será exibido, juntamente com discussões sobre como as políticas públicas, como a de mudanças climáticas e a Política Nacional de Resíduos Sólidos, alteram o cotidiano das empresas. Companhias de vanguarda participarão deste dia da ECO Business, como a ESPM, a WiseProducts e o Catraca Livre, entre outras.

Hoje em dia muitas empresas já têm uma nova postura com relação aos modelos tradicionais de comércio e consumo, e ações de sustentabilidade como crowdsourcing e open innovation fazem parte de seu cotidiano, por isso concluiremos a ECO Business 2012 com essa discussão, buscando estimular que mais companhias adotem essas práticas”, afirmou Ricardo Guggisberg, diretor da ECOBusiness, “Será um encontro entre as empresas lideres de amanhã”, completou.

Além do Congresso, a ECO Business 2012 também sediará uma feira onde as empresas que desenvolveram soluções sustentáveis irão expor suas tecnologias, maquinários e cases ao público. O evento conta ainda com o selo Ecotest, que certifica a gestão de ações sustentáveis em toda a sua montagem e execução.

Veículos Elétricos 2012

Paralelamente à ECOBusiness, será realizado o VE 2012 - Salão Latino Americano de Veículos Elétricos e Componentes, que pretende promover o desenvolvimento do mercado de veículos elétricos no país, intensificando o posicionamento do segmento no Brasil e na América do Sul.

Sobre a Mastran Business Fairs

A Mastran Business Fairs é uma empresa de consultoria, planejamento e promoção de Feiras de negócios e Congressos que esta presente brasileiro e Latino Americano, criando parcerias estratégicas internacionais de longo prazo.

Sobre a MES Eventos

Com uma proposta inovadora, a MES Eventos planeja, cria, produz e viabiliza eventos que têm foco no desenvolvimento sustentável e ações sociais que ajudam a disseminar a cultura da sustentabilidade no mundo corporativo. Com mais de 15 anos de experiência na área, a empresa tem como diretor presidente, o executivo Ricardo Guggisberg, empresário que gerenciou grandes eventos como a Expo celular e que idealizou a ECO Business.

Sobre a GreenBusiness

Comandada por Guilherme Brammer, a GreenBusiness é uma holding focada em Negócios Sustentáveis, baseados nos conceitos de Economia Criativa e Negócios Sociais, e concentra quatro unidades de negócios: gestão de resíduos, consumo colaborativo, negócios sociais e inovação.

ECO Business 2012

Data: 14 a 16 de agosto de 2012

Horário: das 10 às 20 h

Centro de Convenções Imigrantes – Pavilhão Canelinha

Endereço: Rodovia dos Imigrantes km 1,5

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Agenda de Cursos Uniethos

CULTURA DE SUSTENTABILIDADE

2° Expo Virtual Iluminação Sustentável








Assista gratuitamente as palestras virtuais do Web Seminário Iluminação Sustentável diretamente na tela do seu computador. Todas as apresentações são gravadas em vídeo e você pode assistir a qualquer tempo e de qualquer lugar.

Para ter acesso ao Web Seminário e a Expo Virtual, basta gerar sua credencial on-line gratuitamente.

Aproveite o conteúdo que nossos parceiros prepararam para este evento.


Iluminação pública eficiente: Tecnologias e boas práticas







Luciano Rosito

Engenheiro Eletricista formado pela PUC/RS
Coordenador e Secretário de grupos de trabalho das comissões de estudo de iluminação pública do COBEI
Professor de cursos de iluminação pública e autor de artigos sobre o tema
Desde 2010, ocupa o cargo de Engenheiro de Especificação da GE Iluminação segmento Iluminação Pública



Tecnologias para edificações sustentáveis






Gabriel Peixoto

Mestre em Eletrônica pela Universidade Federal de Minas Gerais
Professor no curso de pós-graduação em telecomunicações da PUC Minas
Diretor Presidente da Neocontrol Soluções em Automação



Sustentabilidade na Iluminação: É possível?






Alexandro Gois

Engenheiro de Produção UGF
MBA Gestão e Produção de Edifícios Eco Eficientes LATEC-UFF
Consultor Procel – Etiqeee UFSC
Atua no mercado de iluminação há 21 anos


Inovação no Varejo






Patricia Eleutério de Souza

Pós Graduação IPOG (Instituto de Pós Graduação) na área de Design e Iluminação
Pós Graduação Mackenzie (Edificações: Excelências Construtivas e Anomalias)
Responsável pela área de projetos na GE desde de 2010, ocupando o cargo de Design & Application Specialist
Trabalho na área de iluminação desde 2003




<><><>http://www.iluminacaosustentavel.com.br/web_seminariol.php
 




   


 




   

terça-feira, 17 de julho de 2012

Hotéis da Rede Atlantica em Curitiba adotam lâmpadas LEDs em sua estrutura

As redes de iluminação dos hotéis Quality, Radisson e Four Points by Sheraton, em Curitiba, passaram por uma grande atualização. Como forma de colaborar com a sustentabilidade global, lâmpadas foram trocadas por modelos LED, que economizam em até 85% de energia elétrica, assim como este modelo possui vida útil maior, diminui as trocas e otimiza a utilização de matérias primas.

A alteração do consumo de energia ocasionada por esta atualização das lâmpadas será em média 72% menor,  sem nenhuma perda de qualidade. Considerando a economia de energia, peças de reposição e redução de mão-de-obra na manutenção, todo o investimento, que gira em torno de 500 mil reais, terá retorno em 18 meses.

Esta modernização foi realizada em busca de um objetivo maior, que é a sustentabilidade e o uso consciente de recursos naturais. A efetivação vem de encontro com ações de todo o segmento hoteleiro, que discutiu o assunto no encontro RIO +20, ocorrido no último mês. O presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação – FBHA, Alexandre Sampaio, anunciou um projeto que visa economizar em até 30% os gastos com energia da rede hoteleira nacional. Segundo estudo da entidade, hotelaria e alimentação são responsáveis por 13,4% do consumo de energia no setor comercial do Brasil.

Assim, o projeto executado pela Rede Atlantica Hotels em Curitiba vai de encontro com as expectativas da FBHA. Segundo os Gerentes de Manutenção de cada hotel o estudo teve início há mais de um ano e encontrou na substituição das lâmpadas convencionais por LEDs uma solução ecologicamente correta, sem prejudicar a qualidade e o conforto aos hóspedes dos hotéis. A gerente geral do Four Points by Sheraton, Lilian Franco, completa ainda: “para nossos clientes a maior mudança será em termos de conforto e comodidade, assegurando a eles o compromisso de nossa rede com o meio ambiente.”

A Rede Atlantica Hotels também desenvolve outras ações que visam o bem estar ambiental. Faz uso de poço artesiano em todas suas unidades em Curitiba, dispõe de válvula de economia de água nos sanitários de todos os apartamentos e promove o descarte seletivo de lixo.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

EDUCAÇÃO NA SUSTENTABILIDADE


A junção entre Educação com os objetivos do desenvolvimento sustentável é extremamente fundamental, tanto no que se refere ao desenvolvimento da sociedade e ações menos impactantes ao meio ambiente.

A Educação pode ser vista, como princípio de um processo por onde todos os seres humanos e sociedades podem alcançar seu potencial mais elevado.

Mas será que o modelo de Educação tradicional, atende esta e outras demandas?
Surge assim uma nova forma a Educação Aberta, que é baseada na visãofilosófica do conhecimento como um produto coletivo social, em que o principal foco do conceito é a integração da educação técnica com a educação humanística, possibilitando a reavaliação constante do conjunto de informações acessíveis, e possibilitando a construção de uma nova visão e compreensão do mundo.

Conforme este método criou-se um novo conceito: A EDUCAÇÃO NA SUSTENTABILIDADE, e verificando toda necessidade, resolveu-se integrar processos inovadores delineando uma nova perspectiva educacional, que podemos também chamar de Educação Aberta ou Democrática na Sustentabilidade.

Esta visão sistêmica está relacionada com o entendimento da interconexão entre os envolvidos, ou seja, a visão de que todas as pessoas são parte de um
todo e que cada um, por sua vez é responsável pelo todo, um processo.

A visão sistêmica cria condições para a Educação Aberta na Sustentabilidade crescer, criando-se espaços formais e informais de ensino e aprendizagem, onde a resolução de posturas pessoais conflitantes, por exemplo, sejam substituídas por posturas coletivas inovadoras e orientadas para soluções sustentáveis.

“A Educação na Sustentabilidade parte do pressuposto de que há recursos tecnológicos e financeiros quer podem ser canalizados para o desenvolvimento sustentável, mas sem o apoio dos setores empresariais e governamentais, os avanços são rasos e incipientes.”

(MORIN 2010)
Edgar Morin, nos mostra sabiamente, que a visão sistêmica e integração são uma responsabilidade de criar um futuro sustentável e mais humano, de todos os setores da sociedade e da economia. Porém isto significa mudança de hábitos, reavaliação de métodos de aprendizado e de cultura, e na maneira como as instituições de ensino desenvolvem suas metodologias.

Educação na Sustentabilidade é muito mais que falar de Meio Ambiente, de Educação Ambiental, ou Responsabilidade Social, é a preparação das crianças, dos jovens e adultos para um novo modelo de cultura / civilização sustentável, envolvendo todas as dimensões da Sustentabilidade.
A formação de um indivíduo hoje deve estar pautada em iniciativas capazes de melhorar ou modificar seu entorno e gerar ações construtivas
E estas ações estão concentradas nos princípios da Inovação e da Educação na Sustentabilidade.
*Val Sátiro
Diretora Executiva e Empreendedora do Portal para Educação e Soluções na Sustentabilidade SEU MUNDO SUSTENTÁVEL -


Fontes Bibliográficas

Freire, Paulo
Pedagogia da Tolerância. São Paulo, Unesp, 2004.
Loures, R.C.R
Educar e inovar na Sustentabilidade, Cultura: Unindus,
2008, p. 110.











quinta-feira, 12 de julho de 2012

Panorama da Sustentabilidade Corporativa – Ferramentas e Processos de Implantação


A Agência de Sustentabilidade enxerga a sustentabilidade como um modelo de transformação; transformação de valores (pessoais e corporativos) e de gestão. A forma de se comunicar, de negociar, de produzir, de se relacionar muda, fazendo com que todos os processos de negócio sejam orientados a práticas sustentáveis. Com isso, acreditamos que qualquer profissional, independente de formação e da área, pode (e deve) ser um profissional de sustentabilidade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

MÓDULO 1: Introdução ao desenvolvimento sustentável/sustentabilidade corporativa

• Estocolmo-72, Relatório de Brundtland, Rio-92, Rio+10;

• Tratados e protocolos;

• A entrada da sustentabilidade nas empresas, a evolução da filantropia e porque as organizações devem optar pelo conceito.

MÓDULO 2: Como as empresas podem contribuir para o desenvolvimento sustentável e as ferramentas corporativas para a sustentabilidade

• Normas e certificações;

• Ferramentas de transparência;

• Iniciando a sustentabilidade dentro de uma empresa.

MÓDULO 3: A importância dos stakeholders

• Mapeamento de stakeholders;

• Matriz de priorização;

• Relacionamento com stakeholders;

MÓDULO 4: A sustentabilidade nos processos de negócio;

• BSC sustentável;

• Criando processos sustentáveis;

• O desafio da sustentabilidade nos processos de negócio.


QUANDO: 20 e 21 de julho de 2012, das 9:00 às 18:00
ONDE: Avenida Rio Branco, 81, 18º andar, Centro, Rio de Janeiro – RJ
INVESTIMENTO: R$ 560,00 (facilitado em até 3x)
Informações através do email: cursos@agenciadesustentabilidade.com.br
 ou telefone 21 8267-9615 (falar com Fernanda)

Entre em contato conosco para conhecer nossa política de descontos para pagamentos à vista e inscrições de três ou mais pessoas da mesma empresa. Participantes da rede H² Sustentável, Iniciativa JOVEM, ABRAPS e de outros cursos da Agência de Sustentabilidade possuem desconto diferenciado para pagamento à vista ou parcelado no cheque.


segunda-feira, 9 de julho de 2012

Curso de pós-graduação: Indicadores para a Sustentabilidade

O Senac está com inscrições abertas para o curso presencial de pós-graduação Indicadores para a Sustentabilidade: Construção e Análise, que será realizado no Centro Universitário Senac - Campus Santo Amaro, de agosto de 2012 a novembro de 2013. As inscrições vão até 01 de Agosto de 2012. O objetivo do curso é especializar profissionais para atuarem em processos de identificação, interpretação, construção e utilização de indicadores de sustentabilidade, bem como instrumentalizá-los para examinarem, com olhar crítico, conjuntos de índices e indicadores de bem-estar social, de desempenho econômico e de caracterização ambiental que estejam relacionados, direta ou indiretamente, com a sustentabilidade.


Este curso é pioneiro na formação para a construção e aplicação de indicadores de sustentabilidade, considerando aspectos econômicos, sociais e ambientais. Sua dinâmica desconstrói os indicadores mais comumente utilizados pelas organizações para que o profissional entenda a lógica da construção e esteja apto a construir novos indicadores e aplicá-los em seu local de trabalho.

SERVIÇO 


O quê: Curso de pós-graduação “Indicadores para a Sustentabilidade: Construção e Análise

Quando: De agosto de 2012 a novembro de 2013 (carga horária de 366 horas); 


Local: Centro Universitário Senac - Campus Santo Amaro; 


Endereço: Av. Engenheiro Eusébio Stevaux, 853 - São Paulo (SP);

E-MAIL: campussantoamaro@sp.senac.br


Mais informações 11 56827300 e inscrições até 01/08/2012:

Para obter mais informações sobre o curso e inscrever-se:
http://www.sp.senac.br/jsp/default.jsp?newsID=DYNAMIC,oracle.br.dataservers.CourseDataServer,selectCourse2&course=14980&template=397.dwt&unit=CAS&testeira=724&sub=0





Workshop: Como implementar na prática sustentabilidade na sua empresa

sexta-feira, 6 de julho de 2012

SUBSÍDIOS DO GOVERNO BRASILEIRO: UM LADO BOM


Após a crise de 2008, uma nova onda protecionista das economias de países e blocos, aos poucos, instalou-se em, praticamente, todos os países. Isso é normal, pois a economia de mercado, assim como a vida, segundo Lulu Santos e Nelson Motta, vem em ondas: tem momentos em que é preciso proteger e tem hora em que é necessário atacar. Temos visto governos socorrerem instituições financeiras, empecilhos sendo criados para importações, um crescente aumento da xenofobia, aumentos de IOFs no Brasil e até estatizações de companhias sul-americanas que haviam sido privatizadas em períodos anteriores, quando a onda era de internacionalização da economia.

No Brasil não tem sido diferente. São seguidas as reduções e até mesmo as isenções de impostos, principalmente IPIs e, recentemente, as chamadas desonerações de folhas de pagamento das empresas. Um detalhe: para os mais diversos setores, do automobilístico ao de materiais de construção, passando pelos setores de couro e têxtil, dentre muitos outros.

Pode-se entender como louvável – e talvez as sejam – as medidas que vêm sendo tomadas pelo governo brasileiro, desde o início dessa recente onda de crescimento do Brasil. Em primeiro lugar porque não deixa de ser um reconhecimento do próprio governo da sua incompetência para promover as reformas tributária, previdenciária e trabalhista, há anos, mais que necessárias. Depois, porque a produção industrial brasileira ganha migalhas de competitividade, prolongando a atual onda de otimismo e crescimento da economia brasileira.

O LADO PERVERSO DOS SUBSÍDIOS

O que, entretanto, está por trás de tantos “auxílios e incentivos” do governo? Porque foi preciso criar bolsas escola, alimentação, gás, etc.? Detalhe: eram tantas que o governo precisou criar uma nova – bolsa família - para unificá-las, pois já perdia o controle dos benefícios. Porque ainda precisamos criar artifícios imediatistas e paliativos para promover o crescimento econômico e o desenvolvimento social do nosso país?

Seguramente para essas poucas perguntas teremos uma gama enorme de respostas. Sabe-se, também, que as diferenças socioeconômicas entre as regiões sul e sudeste e as do norte e nordeste são evidentes. Isto fica claro nos estudos de IDH do PNUD. Tais discrepâncias tornam necessária a criação de políticas que visem reduzir essas distâncias. Mas com doação de bolsas e subsídios estamos de fato promovendo o equilíbrio? Com certeza, não. Diz o ditado popular que enquanto houver cavalo São Jorge não anda à pé.

Nossa pouca competitividade é reflexo de nosso alto custo de produção, seja por obsolescência do parque fabril, seja por falta de infra-estrutura, ou ainda pela elevada carga de impostos sem contrapartida que o brasileiro é obrigado a pagar.

Existe, porém, um aspecto perverso que, a um olhar mais próximo, nos distancia muito dos países que já tiveram em situações até piores que o nosso, como Japão ou Coréia: o descaso com a educação, principalmente, a tecnológica. A recente onda de importação de mão-de-obra para ocupações de cargos em áreas de tecnologia avançada em empresas brasileiras é uma prova inconteste da falta de seriedade com a educação. Será que alguém acredita que o programa Bolsa Família contribui dos brasileiros? Particularmente, vejo que mais mascara o problema do que o enfrenta.

Parece que medidas de subsídios governamentais são como aquele desenho animado em que uma formiga briga ferozmente com a outra, enquanto o elefante, ao fundo, passa vagarosamente.

Ivan de Melo Dutra


=====================================================

Veja outros conteúdos dessa edição:

Matérias:

Tecnologia e Sustentabilidade: Energia solar: um sonho de consumo

Visão Sustentável: Software de gestão corporativa promove autossustentabilidade para empresas

Responsabilidade Social Corportativa: Responsabilidade empresarial com futuro

Desenvolvimento Local: A Sustentabilidade como profissão


Artigos:

Marcio Zarpelon: Sustentabilidade na Cosntrução Civil

Jeronimo Mendes: Aprendendo com a crise
=====================================================
Seja assinante da Geração Sustentável e ganhe o livro Eco Sustentabilidade

A revista Geração Sustentável faz uma promoção especial para você leitor que busca novos conhecimentos sobre o tema sustentabilidade corporativa.

Fazendo uma assinatura anual (R$ 59,90) da revista você ganha o livro “ECO SUSTENTABILIDADE: Dicas para tornar você e sua empresa sustentável” do consultor Evandro Razzoto.

Aproveite essa oportunidade e faça agora mesmo a sua assinatura!

*Promoção por tempo limitado

terça-feira, 3 de julho de 2012

GREENBUILDING BRASIL REFORÇA POTENCIAL DE MERCADO E INTERESSE POR EMPREENDIMENTOS SUSTENTÁVEIS NO PAÍS


Vocação do Brasil para “prédios verdes” estimula a busca por certificação e abre um mercado com grande potencial de crescimento

São Paulo, junho de 2012 – A necessidade de se pensar em desenvolvimento constante sem agredir cada vez mais o meio-ambiente é urgente. Empreendimentos autossustentáveis ou que causam menor impacto ambiental não podem ser concebidos como simples alternativas – são na verdade a única opção para garantir qualidade de vida, principalmente em grandes cidades de um planeta que já conta com mais de sete bilhões de habitantes. Nesse sentido, mais do que um espaço para apresentar projetos e soluções na construção civil sustentável, a 3ª edição da GREENBUILDING BRASIL - CONFERÊNCIA INTERNACIONAL & EXPO é uma oportunidade única para fortalecer a qualificação profissional em um mercado com grande potencial de crescimento. O evento é realizado pelo Green Building Council Brasil (GBC) e promovido pela Reed Exhibitions Alcantara Machado (RXAM), no Transamérica Expo Center, em São Paulo, entre os dias 11 e 13 de setembro.

Hoje o Brasil é o quarto país no ranking da certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), selo criado pelo GBC norte-americano, sendo que São Paulo e Rio de Janeiro são as cidades com mais prédios verdes no país. Segundo a consultoria Cushman & Wakefield, a estimativa é que até 2013 o número total de edifícios verdes disponíveis nessas capitais chegue a 37%. Existem razões de sobra para uma expectativa tão otimista. Em 2004, o primeiro pedido de certificação emitido em toda a América Latina saiu do Brasil e até 2007 havia somente oito projetos de certificação em andamento.

O cenário havia se transformado radicalmente em abril de 2012, quando em território brasileiro já existiam 526 empreendimentos sustentáveis em funcionamento, sendo 52 já certificados pelo Green Building Council. Até essa data também estavam em processo de certificação outros 474 prédios. O interesse pelas construções sustentáveis tem também motivação econômica. Sabe-se que adotando medidas sustentáveis é possível obter redução de até 30% no consumo de energia, de até 50% no de água e de 80% dos resíduos sólidos; valorização de 10% a 20% no preço de revenda do imóvel e redução média de 9% no custo de operação do empreendimento durante toda a sua vida útil.

Por seu caráter único como polo centralizador de ideias e de pessoal altamente qualificado, interessado em se aprofundar cada vez mais na área, a GREENBUILDING BRASIL em sua edição 2012 também ampliou seu espaço de conferência, que desta vez terá três dias de palestras sobre os mais relevantes temas para esse mercado, como arquitetura sustentável, eficiência energética, qualidade ambiental interna e uso racional da água. Nesta edição 2012 as visitas técnicas acontecerão em dois dias, possibilitando maior flexibilidade de participação. Os participantes poderão conhecer de perto empreendimentos sustentáveis como o escritório do banco inglês Barclays no Brasil e o CPD da Vivo – Tamboré, ambos em processo de Certificação LEED.

A exposição abre espaço também para encontros e palestras com especialistas de renome internacional, como foi o caso da apresentação de Glenn D. Hughes, na edição 2011. Arquiteto e consultor, Hugues apresentou o projeto desenvolvido para o jornal The New York Times, e explicou como foi projetado o aproveitamento de luz natural em todo o edifício. Segundo ele, a nova construção custou menos que o esperado, pois reduziu o gasto de energia elétrica em 70% uma economia de 433 kilowatt/hora e 3,795 megawatt/ano. “A mudança no ambiente com uso da luz natural ajuda a melhorar entre 4% e 7% a produtividade no trabalho”, apontou o arquiteto à época.

Em 2011, o GREENBUILDING recebeu mais de mil visitantes das principais capitais do Brasil e de países como EUA, Reino Unido, Canadá, Costa Rica e Itália, público composto por patrocinadores, palestrantes nacionais e internacionais, arquitetos, engenheiros, consultores e especialistas da área de construção civil.


GREENBUILDING BRASIL OFERECERÁ TREINAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO LEED™ EM EDIFICAÇÕES EXISTENTES

Prédios podem se adequar para obter certificação de sustentabilidade em operação e manutenção.

São Paulo, junho de 2012 – Prédios já existentes também podem se beneficiar de medidas ecologicamente corretas. Essa é a principal ideia por trás do treinamento Aplicação da Ferramenta Internacional de Certificação LEED EBOM para Prédios Existentes, ministrado por João Alves Pacheco, Diretor de Engenharia e Sustentabilidade da consultoria Cushman & Wakefield. O treinamento é parte das atividades propostas pela 3ª edição da GREENBUILDING BRASIL - CONFERÊNCIA INTERNACIONAL & EXPO, evento realizado pelo Green Building Council Brasil (GBCB) e promovido pela Reed Exhibitions Alcantara Machado (RXAM), no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

Durante o dia 12 de setembro, das 9h às 18h, o profissional explanará sobre os diferentes pré-requisitos e créditos para obtenção da certificação LEED™ de prédios existentes, que demandam principalmente a adoção de medidas na operação e manutenção (Existing Building Operation and Maintenance, EB O&M). Como estratégia do treinamento, os inscritos deverão, com apoio do material didático e orientação do docente, solucionar um problema de aplicação da certificação em um edifício fictício. De acordo com Pacheco, o EBOM não busca efetuar intervenções estruturais, ou reformas pesadas. "Alterações que não demandem a desocupação do prédio, por exemplo, como retrofits das instalações de ar condicionado ou de fachdas, também podem ser boas oportunidades para a aplicação desse processo". O evento é voltado para profissionais e estudantes das áreas de Arquitetura, Engenharia, Gestão Ambiental, entre outros e Pacheco ressalta, justamente, que uma das possibilidades interessantes para o treinamento é a troca de experiências e conhecimentos entre os participantes com diferentes backgrounds.

Hoje o Brasil é o quarto colocado no ranking da certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), selo criado pelo Green Building Council norte-americano, sendo que São Paulo e Rio de Janeiro são as cidades com mais prédios verdes no país. A GREENBUILDING BRASIL em sua edição 2012 também ampliou seu espaço de conferência, que desta vez terá três dias de palestras sobre os mais relevantes temas para esse mercado, como arquitetura sustentável, eficiência energética, qualidade ambiental interna e uso racional da água. Nesta edição 2012 as visitas técnicas acontecerão em dois dias, possibilitando maior flexibilidade de participação. Os participantes poderão conhecer de perto empreendimentos sustentáveis como o escritório do banco inglês Barclays no Brasil e o CPD da Vivo – Tamboré, ambos em processo de Certificação LEED. Em 2011, o GREENBUILDING recebeu mais de mil visitantes das principais capitais do Brasil e de países como EUA, Reino Unido, Canadá, Costa Rica e Itália, público composto por patrocinadores, palestrantes nacionais e internacionais, arquitetos, engenheiros, consultores e especialistas da área de construção civil.

Serviço:

Treinamento
Aplicação da Ferramenta Internacional de Certificação LEED EBOM para Prédios Existentes
12 de setembro, das 9h às 18h
3ª Greenbuilding Brasil - Conferência Internacional & Expo
Data: 11 a 13 de setembro de 2012
Local: Transamérica Expo Center
Endereço: Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 Santo Amaro

Horários:
Conferência -3ª a 5ª feira das 8h30 às 18h
Visitas Técnicas- 4ª e 5ª feira das 8h às 13h
Expo- 3ª a 5ª feira das 10h às 19h
Mais informações: http://www.expogbcbrasil.org.br/



A sustentabilidade como profissão

Profissionais de renome falam sobre presente e futuro dessa área de atuação



Nunca se ouviu falar tanto em sustentabilidade como nos dias atuais. As empresas estão cada vez mais conscientes de que precisam adotar cuidados para não agredir o meio ambiente e que a sustentabilidade é algo cada vez mais necessário. Ganhar dinheiro sem pensar nas consequências dos processos de produção para a sociedade e para a natureza deixará de ser, cada vez mais, a realidade de muitas empresas. E é diante desse cenário que o espaço para atuação de um profissional de sustentabilidade vai aumentando.

A crescente importância desta nova profissão motivou, inclusive, a criação de uma associação que é comprometida com as causas e as pessoas que atuam nesta área. A Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (Abraps) iniciou seus trabalhos no sudeste e desde o fim de 2011está atuando aqui na região sul. O primeiro evento promovido pela Abraps Sul foi um debate com cinco profissionais de renome nacional e internacional, mas que tem Curitiba como cidade sede. Apesar de atuarem em diferentes áreas, a sustentabilidade é algo em comum em suas vivências.

Entre os reunidos estavam o headhunter Bernt Entschev, empresário com mais de 36 anos de experiência e fundador da empresa De Bernt, especializada em Executive Search. Segundo ele sustentabilidade ainda não faz parte dos requisitos de contratação como deveria fazer, no entanto, destaca que todos deveriam ter esse tipo de conhecimento. “Sustentabilidade não é uma profissão, é uma missão de todos”, diz.

Nelton Friedrich, diretor de coordenação e meio ambiente da Itaipu Binacional, também foi convidado a participar do evento que teve como tema o profissional de sustentabilidade. Para ele sustentabilidade significa celebração da vida. “É preciso reconhecer a abordagem e complexidade da natureza e romper algumas barreiras que foram criadas”, relata.

O fundador da Nutrimental Rodrigo Rocha Loures foi igualmente convidado pela Abraps Sul para discutir sobre o perfil do profissional de sustentabilidade. “O tema veio à tona nas décadas de 50 e 60 quando se percebeu que os recursos eram finitos. Antes disso todos agiam sem uma preocupação com os recursos naturais”, lembra. Ainda de acordo com Loures os processos estão evoluindo com uma dinâmica em que só a questão ambiental não é suficiente para definir sustentabilidade. “Isso porque todo mundo busca bem-estar. O desafio é encontrar maneiras de proporcionar o conforte sem que isso afete negativamente o meio ambiente. A sustentabilidade está ao alcance de todos, só é preciso fazer as escolhas certas”, afirma.

O professor na área de sustentabilidade e inovação na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Eloy Casagrande Jr, também presente no evento promovido pela Abraps Sul em Curitiba, também defende que é preciso mudar hábitos sempre, já que é fácil se acomodar. “É muito difícil tirar as pessoas da sua área de conforto. O consumismo já está muito embutido na cabeça das crianças e dos adolescentes, principalmente. Hoje, ao mesmo tempo em que a criança recebe educação ambiental é constantemente estimulada a usar o tênis da moda, o ipad e o iphone”, relata. Nesse mesmo contexto o headhunter Entschev defende que alcançar a sustentabilidade requer uma mudança de paradigmas e conceitos do que é ser feliz. “Felicidade é muitas vezes comparada a ter dinheiro, carro, enfim, ao consumismo. É por isso que digo que sustentabilidade é um processo de evolução, uma mudança de mentalidade”, opina.

Sustentabilidade e política

A questão da sustentabilidade e a sua relação com o consumismo, em especial, vai demorar para virar questão política, conforme analisa Friedrich. No entanto, o diretor da Itaipu lembra que o Brasil é visto como protagonista na questão de sustentabilidade pelos países do exterior. “Já existem leis e políticas, estamos avançando, o que não significa dizer que estamos bem, porque o senso da urgência ainda não chegou. Para fazer sustentabilidade é preciso uma mudança profunda das questões políticas”, alerta.

Como caso concreto de políticas públicas sustentáveis que já estão funcionando no Brasil, o diretor cita o caso de escolas que já oferecem merenda escolar orgânica para os alunos. E o Paraná é pioneiro nesta prática. Publicada no Diário Oficial do Estado do Paraná em 6 de janeiro de 2011, a Lei 16.751, de 29 de Dezembro de 2010, institui, no âmbito do sistema estadual de ensino fundamental e médio, a merenda escolar orgânica. “Não foi uma conquista fácil”, relata Nelton. Em termos de sustentabilidade, essa prática traz benefícios tanto para o meio ambiente quanto para a sociedade já que protege a saúde das crianças e incentiva a produção ecológica.

Afinal, quem é o profissional de sustentabilidade?

Para Rodrigo Brito, fundador da Organização Não Governamental (ONG) Aliança Empreendedora, também presente no evento promovido pela Abraps Sul, hoje não existem nem empresas, nem governos, mas sim pessoas com conhecimentos e hábitos sustentáveis. “Quem está por trás das organizações é que faz a diferença. São as pessoas que tem capacidade para criar”, pontua.

O professor Eloy Casagrande diz que ainda há grande dificuldade em formar um profissional para atuar nessa área. “O entusiasmo e a motivação são essenciais. Não é um curso que irá formar o profissional ideal, muitas vezes são os acontecimentos tocantes da vida que garantem uma boa formação”, conta Eloy citando um amigo que entrou na área de mobilidade urbana para deficientes físicos por conta de uma vivencia pessoal.

Ser organizado e entender de gestão são os conhecimentos necessários ao profissional de sustentabilidade segundo Rodrigo Rocha Loures. “Além disso, é preciso ser psicólogo, sociólogo, ou seja, entender esses conceitos, mas, acima de tudo, precisa ser humano”, diz. Para ele ainda falta articulação para que algumas coisas aconteçam dentro das empresas. “É preciso ser um moderador, um facilitador, não um educador, mas acima de tudo um profissional das relações humanas”, finaliza.

O headhunter Bernt Entschev acredita que quem trabalha nessa área deve ser multifacetado já que as características essenciais variam de uma empresa para outra. “É preciso saber trabalhar em várias vertentes”, conclui. Ainda segundo ele sustentabilidade não é algo que se aprenda na escola ou na faculdade. “O desenvolvimento de habilidades que resultem em ações concretas é uma das formas de cultivar hábitos sustentáveis”, reflete.

Sustentabilidade não é ação solidária e nem pode ser vista como gasto pelas empresas. O profissional que atua nessa área precisa usar a inteligência e não pode ser preguiçoso na hora de criar. É o que pensa Rodrigo Brito da Aliança Empreendedora. “Não vamos avançar se continuarmos a pensar dessa forma”, alerta.

Sobre a Abraps

A Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (Abraps) foi criada com o objetivo de representar, conectar e fortalecer a atuação do profissional de sustentabilidade, responsabilidade social corporativa, cidadania corporativa e investimento social privado, entre outras.

“Entre nossos objetivos está a representação formal dos profissionais de sustentabilidade junto a sociedade. Além disso, a associação busca articular e mobilizar profissionais dedicados ao assunto, compartilhando, fomentando e construindo o conhecimento”, destaca a coordenadora de Expansão da Abraps e representante do Grupo Sul, Daniella Mac Dowell.

Jornalista Bruna Robassa


=====================================================

Veja outros conteúdos dessa edição:

Matérias:

Tecnologia e Sustentabilidade: Energia solar: um sonho de consumo

Visão Sustentável: Software de gestão corporativa promove autossustentabilidade para empresas

Responsabilidade Social Corportativa: Responsabilidade empresarial com futuro


Artigos:

Marcio Zarpelon: Sustentabilidade na Cosntrução Civil

Ivan de Melo Dutra: Subsídios do governo brasileiro

Jeronimo Mendes: Aprendendo com a crise
=====================================================
Seja assinante da Geração Sustentável e ganhe o livro Eco Sustentabilidade

A revista Geração Sustentável faz uma promoção especial para você leitor que busca novos conhecimentos sobre o tema sustentabilidade corporativa.

Fazendo uma assinatura anual (R$ 59,90) da revista você ganha o livro “ECO SUSTENTABILIDADE: Dicas para tornar você e sua empresa sustentável” do consultor Evandro Razzoto.

Aproveite essa oportunidade e faça agora mesmo a sua assinatura!

*Promoção por tempo limitado