----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

VOLUNTÁRIOS EMBRACO PARTICIPAM DE AÇÕES AO REDOR DO MUNDO

Em setembro, Brasil, México, Itália e Eslováquia realizarão a ação. No mês de outubro, as atividades serão concentradas nos Estados Unidos e China.

Há 11 anos a Embraco, líder mundial no segmento de compressores herméticos para refrigeração, estimula que seus colaboradores no Brasil realizem ações voluntárias por meio do programa de voluntariado PROVE. Mas desde 2010, esse grupo ganha uma força extra nos meses de setembro e outubro com o Global Volunteer Day - evento que visa transformar a realidade das comunidades onde a empresa está inserida, por meio da construção e realização de um sonho desenhado pelos moradores da comunidade.

Em 2013, o Global Volunteer Day envolveu 619 voluntários que dedicaram 1.903 horas de trabalho e beneficiaram 1.600 pessoas em diferentes cidades espalhadas ao redor do mundo. Em 2014, os eventos serão realizados em setembro no Brasil (dias 12 e 13, em Joinville; e 17 e 18, em Itaiópolis), México, Itália e Eslováquia (dia 20); e em outubro nos Estados Unidos e China.

São os próprios beneficiados que dizem à Embraco e seus voluntários o que desejam. Para isso, a companhia utiliza a metodologia Oásis, que prevê um intenso trabalho de bastidores nos meses que antecedem o Global Volunteer Day. A equipe envolvida no projeto observa e escuta a comunidade, para desta maneira entender quais são as suas principais necessidades e avaliar os tipos de ações que podem ser realizadas, considerando o número de voluntários, suas habilidades e outras variáveis.

O Brasil é quem mobiliza o maior número de voluntários. Este ano, apenas em Joinville (SC), são esperados 120 voluntários para dedicar 480 horas em ações de revitalização da Escola Prefeito Luiz Gomes, do bairro Adhemar Garcia. Paisagismo e jardinagem; horta em formato de mandala para uso pedagógico; revitalização do parque infantil e estacionamento; pintura nas fachadas externas, ambientes internos, muros, portões, guarita, corrimãos nas escadas e traves das quadras (aberta e ginásio) são algumas das atividades que serão realizadas para beneficiar quase mil alunos.

Para mobilizar funcionários que gostam de ajudar, mas não têm oportunidade de realizar de forma regular, a Embraco realiza um trabalho chamado de engajamento lateral no qual, os participantes regulares do PROVE estimulam e convidam amigos e colegas a participar do Global Volunteer Day. “Entendemos que o voluntariado efetivamente transforma, já que nossos profissionais voluntários encontram uma oportunidade de trabalhar de fato suas motivações pessoais e crenças no melhor futuro das pessoas que nos cercam”, destaca Ursula Angeli, vice-presidente de Sustentabilidade, Comunicação, Recursos Humanos, Relações Institucionais e Saúde, Segurança e Meio Ambiente.

Em 2013, a Embraco realizou uma pesquisa junto aos envolvidos no Global Volunteer Day que apontou a satisfação de 92% das pessoas das comunidades beneficiadas e de 94% dos voluntários. A iniciativa está alinhada ao pilar estratégico de Sustentabilidade da empresa, onde uma das frentes tem o objetivo de desenvolver ações nas comunidades em que a Embraco possui operações.

Curiosidades
- Brasileiros, mexicanos e italianos valorizam mais ações junto a escolas e crianças. Nos três países, as atividades solicitadas pelas comunidades são relacionadas a revitalização de parquinhos, jardins e áreas comuns de escolas infantis.
- Na Eslováquia, 60 voluntários deverão dedicar 530 horas para limpar e renovar uma área de fonte natural de água, localizada no parque nacional Slovak Paradise, na cidade de Spisska Nová Ves. O objetivo é tornar o lugar atraente e agradável para os 3.400 visitantes que frequentam o parque a cada ano. Em 2013, os eslovacos já haviam reparado um cemitério simbólico localizado no topo de uma das montanhas do parque, em homenagem às pessoas que morreram escalando o local.
- Na China, as atividades culturais é que mais mobilizam os voluntários. Este ano, eles deverão realizar pinturas decorativas nas paredes da escola de ensino médio Dandelion Middle School, na comunidade de Mulan. No ano passado, eles organizaram a biblioteca local e fizeram sinalizações para indicar a localização dos pontos mais importantes.
- Em 2013, a Embraco planejou e executou diversos projetos sociais que contribuíram para o bem-estar de 33.862 pessoas. Neste período, a empresa investiu US$ 566.944,00, oferecendo 8.970 horas de trabalho comunitário em 30 ações diferentes. No Brasil, a Embraco possui o Global Volunteer Day, o programa de voluntariado interno (PROVE), o Prêmio Embraco de Ecologia (que está em sua 22ª edição) e o Programa de Educação Ambiental, focado no desenvolvimento dos temas educação e meio ambiente nas escolas.

Dados sobre voluntariado
- De acordo com Centro de Voluntariado de São Paulo - organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que atua desde 1997 e faz parte de uma grande rede de centros de voluntariado em todo o Brasil – 25% da população brasileira, com mais de 16 anos, faz trabalho voluntário, sendo 53% mulheres e 47% homens. A principal motivação para os brasileiros realizarem trabalhos voluntários é ser solidário e ajudar os outros (67%).
- Segundo o World Giving Index, índice organizado pela Charities Aid Foundation - CAF, o Brasil está entre os 10 países com o maior número de voluntários, ocupando a nona colocação. O país que mobiliza o maior número de voluntários no mundo é a Índia, seguido dos Estados Unidos e Indonésia. A China está em quarto lugar e o México em sétimo.
- O World Giving Index é baseado em pesquisas realizadas em 135 países pelo instituto Gallup World Pool e publicado desde 2005/06. Ele considera três critérios para avaliação: o percentual de pessoas que doam dinheiro para caridade, que trabalham como voluntários ou que ajudam um estranho em um mês determinado. O último World Giving Index foi divulgado em dezembro de 2013 e refere-se a dados de 2012. Abaixo alguns destaques:
- No ranking geral de generosidade, o Estados Unidos ocupa o topo do ranking, seguido do Canadá, Myanmar, Nova Zelândia e Irlanda
- Desde 2011, o maior aumento da participação em ações de voluntariado tem sido entre 15-24 anos (de 18,4% em 2011 para 20,6% em 2012). Nos últimos cinco anos, essa faixa etária passou de menos propensos a se voluntariar para o segundo mais provável para ser voluntário
- Os americanos estavam mais propensos a ajudar estranhos do que qualquer outra nacionalidade em 2012 (77%), e o país também possui o terceiro maior número de pessoas que fazem isso. O Qatar teve a segunda maior proporção de pessoas ajudando um estranho (73%), seguido pelo Estado da Líbia (72%), Colômbia (70%) e Senegal (68%).
- A China encabeça a lista para o maior número de pessoas ajudando estranhos devido à sua grande população. Mais de 373 milhões de pessoas ajudaram um estranho em um mês típico, em 2012.

Referências

Centro de Voluntariado de São Paulo – Relatório Primeiro semestre 2014

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Artigo_Logística reversa e sua importância para a sustentabilidade

Telles da Costa Neves

Com a consciência da finitude dos recursos naturais e escassez dos mesmos, que a cada dia se torna mais evidente, tem tornado o assunto sustentabilidade amplamente discutido, tanto se fala sobre o assunto que se romperam as fronteiras dos debates acadêmicos e o inseriram nas organizações e governanças politicas estaduais e municipais. Nunca se falou e se cobrou tanto das organizações, dos estados e municípios um comportamento de responsabilidade ambiental como em nossa época. Comportamento este impulsionado pela criação da Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) , criada pelo Governo Federal que tem como objetivo a gestão eficaz de todos os resíduos gerados, designa a responsabilidade compartilhada entre geradores de resíduos, estados e municípios, cujo prazo para adequação se encerrou em 02 de agosto deste ano. 

A preocupação com a sustentabilidade se faz evidente e necessária em nossa época, e de acordo com os autores Barbieri e Cajazeira (2009) há muitos sinais de que a capacidade sustentável da terra vem sendo ultrapassada e isso inevitavelmente provocará grandes catástrofes sociais e ambientais, contudo já atestamos diversos problemas ambientais gravíssimos, tais como: aquecimento global, destruição da camada de ozônio, poluição dos rios e oceanos, extinção acelerada de espécies, bem como sérios problemas sociais. Neste contexto revela se uma área empresarial pouco conhecida, uma vertente da logística empresarial, chamada de logística reversa ou logística verde, que de acordo com Leite (2003), pode ser definida como a área que planeja, opera e controla o fluxo e as informações logísticas correspondentes ao retorno de todos os resíduos gerados ao ciclo de negócios, ou ao ciclo produtivo.

 A logística reversa utiliza-se de canais de distribuição reversos para que aconteça o retorno destes bens, materiais, produtos, etc. os canais de distribuição reversos podem ser responsáveis por todo caminho reverso dos produtos comercializados, que por algum motivo, seja ele devido a defeitos de fabricação, recondicionamento e remanufatura, prazo de validade vencido, reuso ou ciclo de vida útil encerrado, retornam ao ciclo produtivo da empresa ou tem destinação final de maneira adequada, isto fará com que se diminua o acúmulo de lixo final. Os bens, produtos ou materiais podem acumular se em grandes quantidades, resultando em sérios problemas ambientais, se não retornarem ao ciclo produtivo ou forem usados de outra maneira. Desta forma a Logística Reversa vem ganhando muita importância e reconhecimento, pelo fato de gerar um melhor aproveitamento de resíduos que provavelmente se tornaria lixo, ajudando assim na contribuição da preservação do meio ambiente. 

A logística reversa vem fortalecer o conceito que devemos substituir a cultura do consumo, caracterizada pela motivação de comprar, usar e dispor, pela junção das ideias de uma cultura ambientalista, que privilegia, reutilizar e reciclar os produtos. A intensa industrialização, o crescimento populacional, a diversificação do consumo de bens e serviços e a menor durabilidade dos produtos têm contribuído para o aumento da geração de resíduos sólidos, o que constitui um grave problema ambiental, mas agora com a logística reversa este problema pode ser amenizado e ainda gerar valor de diversas naturezas, tais como: econômico, ecológico, legal, competitivo, de imagem corporativa, dentre outros. Neste contexto compreendemos a importância da logística reversa nos dias de hoje para uma produção socioambiental.

Graduado em Logística Empresarial pela Universidade Estácio de Sá -RJ, com especialização em Logística Empresarial e MBA em Administração Estratégica.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

ÁGUA FUTURO AZUL - Maude Barlow


Como proteger a água potável para o futuro das pessoas e do planeta para sempre

O Livro final da trilogia Azul de Maude Barlow é um olhar poderoso, penetrante, crítico e oportuno sobre a crise global da água, mostrando o que podemos fazer para evitá-la.

A crise global da água aprofundou-se dramaticamente. O cenário está pronto para a seca em uma escala sem precedentes, a fome em massa e a migração de milhões de refugiados deixando terras ressecadas em busca de água. A história não precisa terminar em tragédia.

Em Água – Futuro Azul, a autora Maude Barlow mostra como podemos encaminhar as soluções para a crise mundial, com base em quatro princípios:

A água é um direito humano
A água é um patrimônio comum
A água tem direitos também
A água pode nos ensinar a viver juntos

MAUDE BARLOW – Maior autoridade em temas relativos a água potável no mundo. É presidente nacional do Conselho da Food and Water Watch com sede em Washigton. Também é membro do conselho do Fórum Internacional sobre a Globalização de São Francisco e conselheira do Conselho do Futuro Mundial de Hamburgo. Maude foi homenageada com 11 doutorados honorários, assim como muitos prêmios, incluindo o Prêmio Earth Care de 2011, a mais elevada honraria internacional concedida pelo Sierra Club (EUA). 

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Almofada 100% ecologicamente correta


Por Alex Sandro Santos
A microempresa Elas Ecomodas Confecções de Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro, é detentora de inúmeras premiações por conta da sua forte atuação na preservação da Mata Atlântica. É a primeira confecção no Brasil a reaproveitar cones de linhas vazios que seriam descartados no lixo, para cultivar mudas de árvores da Mata Atlântica cujas mesmas servem, ainda, para auxiliar na educação ambiental de mais de 3 mil estudantes diretamente e que auxiliam no reflorestamento desta cidade que foi fortemente castigada pelo temporal em janeiro de 2011.

A Elas Ecomodas, visualizando um cenário de um público consumidor mais atento às questões ambientais que valoriza e reconhece a importância de se preservar os recursos naturais do planeta, embarca de vento em polpa em artigos de decoração produzidos com alto design e padrão de qualidade com foco na sustentabilidade.

A mesma lança uma linha de almofadas 100% ecologicamente correta. Só para você entender porque a Elas Ecomodas enfatiza que este artigo é confeccionado de maneira correta, seguem aqui algumas considerações:

Tecido 100% garrafa PET. Para cada almofada, cerca de 02 garrafas de refrigerante de 02 litros são retirados da natureza. Material inovador, inodoro, resistente e toque macio.

Estamparia ecologicamente correta. Cada almofada é ilustrada com maquinários de alta tecnologia que proporciona uma qualidade impecável nas peças, sem perder detalhes e cores. Para estampar as peças, não é usada nenhuma gota de água potável e nem gerado nenhum resíduo químico, apenas sobra um papel cujo mesmo é reaproveitado internamente para bloco de anotações.

Fotos de animais da Mata Atlântica. As fotos que ilustram as peças são cedidas por meio de parcerias com fotógrafos de natureza cadastrados no Wikiaves. A foto da almofada de Tucano, por exemplo, é do fotógrafo Paulo Couto, de Minas Gerais, que é associado do Ecoavis, além de ser um membro ativo do Wikiaves. A empresa, frequentemente, recebe material de fotógrafos de todo o Brasil para análise de modo a ser aproveitada para utilização em seus ecoprodutos.

Enchimento das almofadas é uma reciclagem. Em Nova Friburgo existem algumas empresas que produzem bojos de espuma que são vendidos para confecções de moda íntima para a fabricação de sutiãs. E por consequência, estas fábricas acabam por gerar um extenso volume de refugo de espuma. A Elas Ecomodas Confecções, recolhe este material que seria descartado no lixo para picotar e fazer deste material o enchimento às almofadas.

Bordados em 100% algodão. Para proporcionar um design elegante e com muito estilo, são utilizados rendas e bordados cujos fios são produzidos oriundo do algodão, já que este material na natureza se decompõe facilmente e os refugos são reaproveitados pela própria empresa como composto orgânico que auxiliam no desenvolvimento das mudas do projeto mantido pela empresa.
Além de almofadas, a mesma também produz bags, estojos e nécessaires, camisetas em malha 100% PET que já vem sendo adotado como uniformes por empresas parceiras da Elas que pensam “verde”. Outros produtos serão lançados em breve pela confecção de Nova Friburgo, assim como jogo americano, porta talheres e outros – todas com alto padrão de qualidade e produzidas com respeito ao meio ambiente.

A busca da empresa é por parceria em distribuição para revendas. Mas quem desejar comprar ecoprodutos e conferir mais sobre este belíssimo trabalho desta empresa que possui, inclusive, o Selo Verde Ecolmeia, basta acessar www.elasecomodas.com.br ou ligar para (22) 2526 5572.


O maior Fórum de Gestão Fiscal e Sped traz os maiores especialistas tributários do Brasil.


Realizado pelo Confeb – Conselho Fiscal Empresarial Brasileiro traz na 8ª edição do Fórum de Gestão Fiscal e Sped o KEYNOTE SPEAKER - Dr. Robson Maia Lins que falará sobre os Impactos da decadência, prescrições e denúncia espontânea. É hoje um dos mais conceituados advogados da área tributária da América do Sul, mestre em Direito Tributário e autor de diversos artigos e livros especializados em matéria tributária.

Nesta 8ª edição, os congressistas terão a oportunidade de presenciar, compartilhar e debater as experiências e as melhores práticas existentes na área tributária. Especialistas trarão detalhes do SPED como ECF, Bloco K, Manifesto do Destinatário Eletrônico, além de cases e debates exclusivos.

Empresas como: Azul, Sefaz/BA, ENCAT, Michael Page, Pfizer, Máquinas Vendas Brasil, IOB | SAGE, Riachuelo, MTE, DHL, Caixa Seguros, Becomex, Cargill, Adidas, Colgate, Petrobrás, Forno de Minas, Schneider Electric e ArcelorMittal debaterão assuntos de grande relevância no cenário atual brasileiro, uma oportunidade única para quem busca estar atento ao que existe de mais moderno na área.

 Inscrições

As inscrições para o 8ª edição do Fórum de Gestão Fiscal e Sped podem ser feitas até o dia do evento pelo site do congresso, ou pelo telefone (11) 3302-9292.
Para mais informações www.confeb.org.br/forum2014

Local: Centro de Convenções Senac – Av. Eng. Eusébio Stevaux.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo reconhece iniciativas sustentáveis pelo Brasil

Empresas, comunidade e estudantes podem se inscrever até o dia 10 de dezembro



A adoção de novas práticas de gestão sustentável é uma demanda cada vez mais frequente em diversos setores. E esse panorama tem tudo para trazer importantes benefícios em longo prazo para a sociedade. Visando promover uma reunião de novas ideias e reconhecer projetos com conceitos sustentáveis, o Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE) lança a 8ª edição do Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável.

Com o objetivo de certificar projetos de todo o Brasil, a premiação está com inscrições abertas até o dia 10 de dezembro paras as categorias Empreendedorismo Econômico, Ambiental, Educacional e Social. O prêmio contempla empresas, pessoas físicas (por meio de Plano de Negócios) e comunidade acadêmica. Os projetos selecionados deverão ser apresentados para uma banca avaliadora e os vencedores serão conhecidos em fevereiro de 2015.

Os interessados podem conferir o regulamento pelo site www.isaebrasil.com.br/premio.

Serviço:
 Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável
Data de inscrição: até 10 de dezembro

Valor: Gratuito 

Celulose Irani recebe Prêmio Empresa Cidadã da ADVB/SC 2014


A IRANI está entre as premiadas da 16ª edição do Prêmio Empresa Cidadã da Associação Brasileira dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina (ADVB-SC). A empresa foi reconhecida pelo case Análise do Ciclo de Vida dos produtos, mais conhecido como ACV, na categoria Preservação Ambiental.

O objetivo da premiação é reconhecer projetos e iniciativas que beneficiem não apenas um setor ou segmento empresarial, mas toda a sociedade. Empresas e instituições catarinenses que desenvolveram projetos diferenciados nas áreas de Preservação Ambiental, Participação Comunitária e Desenvolvimento Cultural receberam o troféu durante cerimônia na Pousada Rural do SESC, em Lages.

O projeto da Celulose Irani foi desenvolvido em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e tinha como objetivo o esclarecimento sobre os principais impactos gerados pelos processos da produção de papel e embalagem, desde a produção de matérias-primas até o transporte do produto finalizado.

Leandro Farina, gerente de gestão para excelência, comemorou o “reconhecimento” do trabalho desenvolvido pela IRANI e o legado que o projeto deixa para a empresa. “O ACV permitiu a análise das ações que vinham sendo realizadas, além da criação de projetos futuros e reafirmou, principalmente, que a produção sustentável é um compromisso da IRANI”, destacou.

Esta é a segunda vez que o case do ACV é reconhecido. A primeira ocorreu em novembro do ano passado, quando a empresa foi eleita destaque do setor de Papel e Celulose no Guia Exame de Sustentabilidade por conta da realização do projeto.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Busca por materiais sustentáveis deve ampliar participação da embalagem metálica no mercado


Depois de amargar um período de declínio na produção industrial, superado nas últimas décadas por produtos de custo inferior como o plástico e o cartão laminado, o mercado de embalagens metálicas vivencia uma nova expectativa de crescimento, aquecido pela ampliação da demanda por produtos manufaturados mais sustentáveis. A opinião é do presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Estamparia de Metais (SINIEM) e da International Packaging Association (IPA), Antonio Carlos Teixeira Álvares, também CEO da Brasilata, líder na fabricação de latas de aço no País.

Até então restrita, nas gôndolas dos supermercados, a setores como o de bebidas, em que há supremacia no uso de latas para assegurar a qualidade do produto, a embalagem metálica vinha sofrendo forte concorrência, em função de fatores como o custo superior do transporte, responsável por encarecer o preço das unidades. Mas essa lógica tende a se inverter, em razão dos benefícios associados ao meio ambiente, acredita Teixeira.

“A condição do metal como material permanente está se tornando uma vantagem competitiva, que possibilita não só recuperação como a expansão do market share das embalagens metálicas”, afirma o CEO da Brasilata.

Além de propiciar maior proteção ao produto manufaturado, a embalagem de lata atende aos principais preceitos de sustentabilidade, o que a coloca num patamar de superioridade em relação aos outros materiais disponíveis. “Os metais são infinitamente recicláveis, ao passo que a reciclagem do plástico e do cartão laminado é muito mais difícil, e só é possível com a degradação do material original, no processo conhecido como downcycling”, explica o executivo.

Criado por Anders Linde, secretário geral da Metal Packaging Europe (MPE), o conceito de material permanente se fundamenta no fato de que o metal, além de renovável, é um elemento químico que permanece para sempre no planeta. “E ser permanente, é muito mais amigável à natureza do que ser apenas renovável”, conclui Teixeira.

Essa aposta num futuro mais sustentável estimulou os fabricantes locais de latas metálicas a investir na criação da Associação Prolata Reciclagem, voltada para o reaproveitamento dos recipientes de aço após o consumo. De acordo com Teixeira, a entidade vem obtendo resultados significativos, e já registra os primeiros casos de substituição de outras embalagens do mercado
por latas de aço.

EXPO ARQUITETURA SUSTENTÁVEL APRESENTA PROJETOS RESIDENCIAIS E COMERCIAIS QUE VALORIZAM A QUALIDADE DE VIDA E O MEIO AMBIENTE



Evento vai reunir atitudes e ideias sustentáveis que podem ser aplicadas no dia-a-dia de arquitetos, construtores, decoradores e consumidores finais.

São Paulo, agosto de 2014 – A Expo Arquitetura Sustentável, primeiro evento no País que abrange todas as certificações ambientais relacionadas à construção civil, traz como principal contribuição aproximar o público das boas práticas de construção e arquitetura. De 26 a 28 de agosto, o Pavilhão Vermelho do Expo Center Norte reunirá cerca de 100 marcas expositoras nacionais e internacionais, representadas em 28 setores da construção, que trarão novidades em produtos, sistemas e inovações para diferentes tipos de empreendimentos que valorizam a qualidade de vida e o meio ambiente.

De acordo com a Sustentech, consultoria atuante em mais de 75 projetos de certificação AQUA-HQE, se há pouco tempo uma obra poderia ficar até 20% mais caro ao adotar práticas sustentáveis, hoje esse custo não passa de 7%. “E mesmo assim, ao longo do tempo, com a economia de recursos que a construção passa a oferecer, esse valor não apenas se paga, como gera muito mais economia dali pra frente”, explica Marcos Casado, engenheiro civil e consultor técnico/comercial da empresa, que faz parte do conselho consultivo da Expo Arquitetura Sustentável.

Projetos residenciais e comerciais terão destaque no evento:

Casa AQUA-HQE - Um novo modelo de casa sustentável será apresentado com exclusividade na Expo Arquitetura Sustentável. O projeto, desenvolvido pela Inovatech Engenharia, terá espaço de 120 m², que inclui duas casas separadas por uma pequena praça. As empresas que terão produtos na Casa AQUA 2014 ou estarão presentes institucionalmente são Leroy Merlin, Onduline, Skygarden, Otto Baumgart, Windeo, Acqualimp, Toto, Rondobel, LP Brasil, Smart, PlacLux, Efilux, Transix, Rede Habitat (linha da Cebrace) e a Ecoblock. O projeto arquitetônico é de Rodrigo Mindlin Loeb.

CasaEA BASF apresenta o projeto da sua primeira casa de eficiência energética no país, a CasaE, com inovações e soluções para o mercado de construção brasileiro. Com o projeto, coloca à disposição da indústria novas tecnologias em materiais de alta performance, eficiência energética e proteção climática. A casa de eficiência energética da BASF é a décima construída pela empresa no mundo, a primeira em clima tropical.

Casa 88º - Projeto desenvolvido para empreendimento da incorporadora JHSF. Trata-se da primeira casa com o grau máximo de sustentabilidade do Selo Consciente O’R 88°, que gradua os projetos do escritório de arquitetura Atelier O’Reilly - consórcio formado pelas empresas Atelier O´Reilly, Gaia, Mado e Rewood.

Bairro Quartier - O projeto do novo bairro que será construído na cidade gaúcha de Pelotas é da Joal Teitelbaum Escritório de Engenharia e da Guapo Capital Group, empresas responsáveis pelo planejamento, desenvolvimento e urbanização. São características marcantes o uso compartilhado da área entre prédios comerciais, residenciais e de serviços, elemento que promove o senso de comunidade do Quartier. Entre os destaques estão o Boulevard Quartier, passeio verde central com mais de 30 metros de largura e 400 metros de extensão, e artéria central de convivência. Nos extremos do Boulevard Quartier estarão dois exemplos de urbanismo voltado à tomada das ruas pelos moradores: o Palco Quartier, espaço para intervenções culturais ao ar livre, junto a uma grande arquibancada verde, e a Praça do Fogo, espaço de convivência e contemplação.

Mais detalhes sobre o empreendimento serão apresentados pelo engenheiro Claudio Teiltelbaum, diretor da Joal Teiltelbaum, na palestra do dia 28 de agosto, às 14h50. Também no dia 28, acontece a palestra de João Marcello Gomes, Mercado Construção Sustentável – Oportunidades e Negócios, das 9h às 9h50, do Expo Center Norte. O diretor da Sustentech vai mostrar como funciona o mercado da construção sustentável no Brasil, seu grande desenvolvimento nos últimos anos, as tendências de crescimento e inovações, a relação do Brasil com o resto do mundo e as oportunidades de negócio que ele oferece.

Ilha Pura (Carvalho Hosken Odebrecht Realizações)O novo bairro sustentável na Barra da Tijuca , que acomodará os atletas durante os jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016, é o primeiro  empreendimento a receber a certificação AQUA - Bairros e Loteamentos na cidade do Rio de Janeiro, além de ter todas as torres certificadas pelo AQUA-HQE Residencial. A certificação leva em consideração as especificidades do Brasil para a elaboração dos critérios de desempenho da qualidade ambiental do edifício e do bairro, e dos requisitos para o sistema de gestão do empreendimento. O bairro foi avaliado em relação ao cumprimento de 17 objetivos de desempenho ambiental, divididos em três grandes temas: integração e coerência do bairro; recursos naturais, qualidade ambiental e sanitária do bairro e vida social e dinâmicas econômicas. Os edifícios foram avaliados nas 14 categorias de conforto, saúde e meio ambiente, agrupadas nos temas: energia e economias, conforto de uso, saúde e segurança e meio ambiente. No dia 28/8, às 17h, Mariana de Cillo Malufe Spignardi, líder de sustentabilidade do Ilha Pura, faz palestra sobre o empreendimento. No dia 27/8, às 15h30, ela também participa da cerimônia de entrega do selo AQUA-HQE.

Paralelamente à exposição, um elenco de especialistas do Brasil e do exterior participa da Conferência da Expo Arquitetura Sustentável. Entre os destaques estão Prashant Kapoor, especialista em sustentabilidade e negócios ambientais da IFC, do Banco Mundial; Jerry Yudelson, presidente da Green Building Initiative e Michele Molè, fundador do Nemesi Studio. O time de palestrantes brasileiros tem nomes como Marcos Penido, secretário da Habitação do Estado de São Paulo e José Joaquim do Amaral Ferreira, diretor da Fundação Vanzolini, detentora do selo AQUA-HQE. A conferência deve reunir 800 congressistas que assistirão e debaterão em painéis de 80 convidados.

A Expo Arquitetura Sustentável reúne diversos modelos e normas de certificações reconhecidas internacionalmente, tais como HQE (França) – adaptada para o Brasil como AQUA; BREEAM e SKA RATING (Reino Unido), DGNB (Alemanha), LEED (EUA), FSC, PROCEL, A3P (Setor Público) e SELO AZUL (Brasil) terão oportunidade de exposição. A Reed Exhibitions Alcantara Machado, promotora e organizadora da feira, estima 9 mil visitantes/compradores, em uma área de 8 mil m² e 100 marcas nacionais e internacionais

Acompanhe as entrevistas gravadas em vídeo com presidentes das entidades apoiadoras, especialistas, empresários e expositores do evento no link: http://www.reedalcantaranoticias.com.br/category/expo-arquitetura-sustentavel/

Serviço:
Expo Arquitetura Sustentável – Feira Internacional de Construção, Reforma, Paisagismo e Decoração.
Data: 26 a 28 de agosto de 2014
Local: Expo Center Norte, Pavilhão Vermelho - São Paulo - SP
Horários: Exposição: 11h às 20h / Conferência: 9h às 18h

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Expo Arquitetura Sustentável

Falta 1 semana para a @Expo Arquitetura Sustentável, prepare-se para:
- Três dias de palestras e debates com grandes nomes do seguimento;
- Quatro roteiros de visitas técnicas a empreendimentos sustentáveis;
- Cinco eventos simultâneos para ampliar o seu conhecimento no setor.



quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Duratex participa do Fórum Sustentabilidade e Governança 2014


Empresa apresenta sua experiência de implantar práticas sustentáveis no modelo de gestão

A Duratex, maior produtora de painéis de madeira industrializada e pisos, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul e líder no mercado brasileiro com as marcas Durafloor, Duratex, Deca e Hydra, participa pela segunda vez do Fórum Sustentabilidade e Governança. A edição de 2014 acontece nos dias 19 e 20 de agosto, no Hotel Four Points by Sheraton, em Curitiba (PR). O evento irá discutir tendências, perspectivas e casos de sucesso na gestão da sustentabilidade nas empresas.

“Na oportunidade, compartilharemos a experiência e desafios da Duratex no processo que adotamos para incorporar os princípios da sustentabilidade em nosso modelo de gestão”, diz o gerente corporativo de sustentabilidade da Duratex, João Carlos Redondo, que será um dos integrantes do painel “Sustentabilidade e Governança: Experiências Corporativas”.

O Fórum é organizado pelas empresas STCP Engenharia Projetos Ltda e Milano Consultoria e Planejamento desde 2012. Para a Duratex, o evento também se destaca pela oportunidade de trocar conhecimentos e informações sobre as práticas de outras empresas, que também inovam com ações nessa área.

Além de participar de eventos, onde procura compartilhar seus aprendizados, a Duratex possui uma estrutura de governança sobre o tema e conta com um Comitê de Sustentabilidade no Conselho de Administração. Nos últimos anos, a empresa tem sido reconhecida por suas práticas e está listada no ISE (BM&FBovespa) e no Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets (Bolsa de Nova York), índices que consideram o desempenho socioambiental das companhias de capital aberto. Os sistemas de gestão ambiental também são reconhecidos pelo mercado e certificados por referências de boas práticas como FSC (manejo florestal e cadeia de custódia) e ISO 14001 (gestão ambiental).


terça-feira, 12 de agosto de 2014

MRV investe em canteiro de obras sustentável no Paraná

A construtora utiliza sistema de reaproveitamento de água da chuva para os sanitários e destina área ao manejo correto de resíduos


A MRV Engenharia atua com um modelo de canteiro de obras no Paraná que valoriza a sustentabilidade. A preocupação da marca  é educar os colaboradores para as melhores práticas e também otimizar a utilização dos recursos naturais.

Exemplos concretos desta mentalidade são encontrados em canteiros de obras como o do empreendimento SpazioConsenza, no bairro do Pinheirinho, em Curitiba, no Paraná. O sistema consiste na captação de água da chuva, o que significa que toda a água utilizada nos vasos sanitários é captada por meio desses equipamentos, reduzindo a necessidade de água do sistema de abastecimento público.

A obra do SpazioConsenza está alinhada aos processos de mais alto padrão da construção civil. Em seu refeitório, por exemplo, todos os funcionários precisam lavar seus sapatos antes entrar. Já o ambiente possui mesas de fórmica e forro de PVC. Nos banheiros, cada colaborador conta com um armário próprio e as instalações são de alvenaria.

Também existem placas com a indicação da gestão de resíduos, que servem para alertar os colaboradores sobre o manejo adequado e descarte dos materiais usados no canteiro. Além disso, faixas lembram o cuidado constante com a prevenção de acidentes.  

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Fundação Proamb promove o curso de Identificação e avaliação de aspectos e impactos ambientais

A Fundação Proamb promove o curso “Identificação e avaliação de aspectos e impactos ambientais”, no dia 28 de agosto, das 8h às 17h30, em Porto Alegre (RS). A ministrante será a engenheira Química, Ana Paula Porto Cascaes. “O objetivo é apresentar os conceitos de aspectos ambientais e sua importância como elementos de referências para a estrutura do Sistema de Gestão Ambiental, assim como fornecer metodologias para identificação de aspectos e impactos ambientais associados as atividades, produtos e serviços de organização”, revela Ana Paula .


A engenheira Química é especialista em tratamento de resíduos industriais, em Direito Ambienta e é Engenheira de Segurança do Trabalho. O conteúdo que será abordado no curso será o requisito 4.3.1 da Norma ISO14001; O que é aspecto ambiental e impacto ambiental; a identificação e avaliação dos aspectos e impactos ambientais; significância dos aspectos ambientais; registros associados; gerenciamento dos aspectos e impactos ambientais identificados e comunicação dos aspectos e impactos ambientais significativos as partes interessadas relevantes. 

Mais informações sobre o curso podem ser obtidas pelo site proamb.com.br ou pelo fone (54) 3055-4338.


Fundação Proamb realiza curso de Gestão de Resíduos Sólidos e a Legislação Aplicada

A Fundação Proamb realiza o curso “Gestão de Resíduos Sólidos e a Legislação Aplicada”, na Universidade de Passo Fundo (UPF), no dia 27 de agosto, das 9h às 16h30. “O objetivo do encontro é capacitar profissionais no processo de gerenciamento de resíduos sólidos, enfatizando a legislação pertinente, a minimização na geração, o armazenamento, o transporte e as técnicas de destino final”, explica Andressa. O público alvo é de gestores e engenheiros ambientais, analistas de meio ambiente, engenheiros químicos, químicos, engenheiros e técnicos de segurança do trabalho.

A ministrante será a coordenadora de Inovação da Fundação Proamb, Andressa Brandalise. Ela é engenheira Química pela Universidade de Caxias do Sul, especialista em Projetos para Tratamentos de Resíduos de Industriais Sólidos, Líquidos e Gasosos pela PUC-RS. Andressa é especialista em minimização de toxidade pela Universidade de Brescia-Itália. É professora da Faculdade de Tecnologia TECBrasil. Ela tem mais de dez anos de experiência na área de Gestão Ambiental.


Mais informações podem ser obtidas pelo site proamb.com.br ou pelo telefone (54) 3055-4338.


sexta-feira, 8 de agosto de 2014

I-UMA abre inscrições para única especialização em Direito Agrário e Ambiental do Brasil


Pós-graduação com apenas 25 vagas, realizada em parceria com a Universidade Paulista,  reúne 15 dos principais mestres e doutores  no tema. Aulas iniciam no dia 29 de agosto, no Edifício Palácio do Comércio, em Porto Alegre/RS. As inscrições devem ser feitas até 26 de agosto, pelo e-mail i-uma@i-uma.edu.br, ou secretariaacademica@i-uma.edu.br.

O Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária deve atingir R$ 465,6 bilhões em 2014, alta de 8,3% em relação ao ano passado. A conta da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil - CNA, baseada em previsões de safras recordes de grãos e aumento da produção de carne bovina e leite, impõe outro desafio: o conhecimento será cada vez mais necessário na gestão dos negócios “dentro e fora das porteiras”. Com esta macrovisão, o Instituto de Educação no Agronegócio (I-UMA), uma verdadeira academia de estudos, que oferece de especializações lato sensu a plataformas de extensão e ensino à distância (EAD), vai privilegiar mais um grupo seleto de profissionais com uma especialização inédita no Brasil. Trata-se da 2ª turma de pós-graduação em Direito Agrário e Ambiental Aplicado ao Agronegócio, que terá à frente das disciplinas um time de 15 professores - mestres e doutores renomados no mercado. As inscrições devem ser feitas até 26 de agosto, pelo e-mail i-uma@i-uma.edu.br, ou secretariaacademica@i-uma.edu.br.

O curso, com 25 vagas, é realizado em parceria com a Universidade Paulista (UNIP). “A especialização pioneira no Brasil vai ampliar as competências de profissionais da área jurídica, criando novas oportunidades de trabalho neste mercado em franca expansão”, diz o economista José Américo da Silva, presidente do I-UMA, informando que o conteúdo é distribuído em 18 disciplinas. A estrutura curricular compreende áreas como contratos agrários; produção agroindustrial; propriedade intelectual; políticas agrícolas; exploração, impactos e responsabilidades ambientais; legislação florestal; certificação e rastreabilidade.
Também estão programados seminários avançados de aplicação prática, com a participação de renomados convidados das áreas jurídicas, agrárias e ambientais. Com duração de três semestres (360 horas), as aulas, com início previsto para 29 de agosto, serão em semanas alternadas, sempre às sextas-feiras à noite e durante o sábado no Edifício Palácio do Comércio (rua Largo Visconde do Cairú, 17 - 5º andar), em Porto Alegre.  Podem se inscrever bacharéis de Direito, advogados, promotores, juízes, consultores, assessores jurídicos e demais profissionais interessados em se especializar no setor do agronegócio.

CARÊNCIA DE FORMAÇÃO - Conforme o professor da pós-graduação e mestre em Direito, Albenir Itaborai Querubini Gonçalves, a construção do curso foi em cima de dois pilares fundamentais: a expansão da cadeia do agronegócio, que representa entre 30% e 40% do PIB do Brasil, e a falta de profissionais na área jurídica para o atendimento das novas demandas do setor. “O Brasil é uma potência mundial do agronegócio, no entanto, percebe-se carência na formação de profissionais do Direito nesta área. Por isso, esta especialização abre um rentável campo de atuação, seja em nível contencioso, assessoria técnica ou prestação de serviços de consultoria jurídica”, explica, lembrando que o patrono do curso é o doutor Darcy Walmor Zibetti, vice-presidente da Academia Brasileira de Letras Agrárias (ABLA) e presidente da União Brasileira dos Agraristas Universitários (UBAU), fundada em julho deste ano.

Autoridades no tema de Direito Agrário e Ambiental não faltam no corpo docente. Entre os professores, altamente qualificados, está o desembargador aposentado do TJ/RS, Wellington Pacheco Barros, mestre em Direito Ambiental com reconhecimento nacional pela autoria de mais de 50 livros e também membro da ABLA. Para o especialista jurídico, falar em agricultura é falar também em direito agrário e ambiental. “É uma mera ilusão crer que as relações econômicas possam não estar acompanhadas por relações jurídicas correspondentes. Por isso, esta pós-graduação é uma novidade em todos os sentidos, principalmente pelo compartilhamento do conhecimento teórico e prático”, afirma Pacheco Barros, acrescentando que “o boom do curso é justamente fazer com que os alunos, ao assimilarem este vasto conhecimento, possam aplicar essas ideias no cotidiano, em suas rotinas diárias de trabalho”.

Wellington Pacheco Barros

Para a especialista Kelly Bruch, também professora do pós-graduação, com pós-doutorado em Agronegócio “o curso possui diversas abordagens, desde agropecuária fundiária à propriedade intelectual. Ou seja, fornece material consistente para o advogado utilizar na vida prática, possibilitando a saída do escopo do Direito para o mundo do agronegócio, com elementos concretos para atuação”, diz a professora, complementando que “não se encontra tamanha interdisciplinaridade em nenhuma outra pós-graduação no Brasil”. Também o expert em Direito Ambiental Maurício Fernandes, mestre em Direito e membro da Comissão de Direitos Ambientais da OAB/RS, reforça a importância de se ensinar as bases, os princípios e as novas regras vigentes, mas sem deixar de lado a identificação e demonstração dos efeitos práticos das matérias na produção rural.

MAIS CONHECIMENTO - Com experiência de 30 anos na advocacia e duas especializações – uma em Direito Empresarial e outra em Direito Tributário - o advogado Evandro Raul dos Santos, de Porto Alegre, decidiu aprofundar seus conhecimentos e é um dos 23 alunos da 1ª turma da pós-graduação em Direito Agrário e Ambiental, iniciada no primeiro semestre e que conta com 22 profissionais da área jurídica e um agrônomo. “Este ramo do direito, que regula as relações jurídicas do homem com a terra, é um mercado que vem se abrindo em solo brasileiro. Hoje, tanto no antes como no depois da porteira não se faz mais nada sem um conteúdo legal (leis)”, comenta, acrescentando como diferencial a experiência professores. “Não são apenas questões acadêmicas distantes da realidade”. Assim como Santos, o advogado Luís Fernando Cavalheiro, que atua junto à Farsul – Federação da Agricultura do RS, está entusiasmado e aproveitando o diferencial desta única especialização jurídica do Brasil. “Esta qualificação na área agrarista possibilita mais conhecimentos das regras, mais subsídios para o meu dia a dia, no qual preciso estar atento e identificar soluções para as inúmeras dificuldades vivenciadas pelos produtores rurais.

 AGENDE-SE

O QUÊ: Pós-graduação em Direito Agrário e Ambiental Aplicado ao Agronegócio
CARGA HORÁRIA: 360 horas
HORÁRIOS: Sextas-feiras: das 19 às 23 horas. Sábados: das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas. As aulas ocorrem em finais de semana alternados
VAGAS: 25
INSCRIÇÕES: até 26 de agosto
LOCAL: Rua Largo Visconde do Cairú, 17 - 5º andar – Edifício Palácio do Comércio – Porto Alegre/RS
CONTATO: (51) 3224.6111 e (51) 3920.5005


ESTRUTURA CURRICULAR:

SEMESTRE I
- Conceitos e Cenários Aplicados aos Complexos Agroindustriais
- Teoria Geral do Direito Agrário brasileiro
- Direitos Reais
- Contratos Agrários
- Títulos de Crédito Rural
- Propriedade Intelectual e Inovação no Agronegócio
- Seminários sobre Temas de Direito Agrário e Agronegócio

SEMESTRE II
- Crédito Rural e Seguro Agrícola
- Instrumentos Legais de Política Agrícola
- Teoria Geral do Direito Ambiental
- Exploração da Atividade Agrária e a Legislação sobre os Recursos Naturais
- Agronegócio, Impacto e Licenciamento Ambiental
- Responsabilidade e Fiscalização Administrativa Ambiental
- Responsabilidade Civil ambiental
- Atividade agrária e Crimes Ambientais
- Propriedade Agrária e a Legislação Florestal
- Seminários sobre temas de Direito Ambiental e Agronegócio

SEMESTRE III
- Produção Agroambiental, Certificação e Rastreabilidade
- Temas correlatos ao Direito Agrário e Ambiental Aplicados ao Agronegócio
- Estudos Avançados – Agronegócio, Legislação e Atualidades

- Metodologia Científica – Artigo Científico

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

MICROGERAÇAO É ALTERNATIVA PARA REDUZIR O RISCO DE RACIONAMENTO E O CUSTO ENERGÉTICO NO PAÍS


Regulado desde 2012, o uso de aerogeradores em casas, universidades, fazendas e no comércio torna nossa energia mais limpa e reduz a sobrecarga sobre os sistemas de geração e distribuição

A estiagem recorde enfrentada pelo sudeste do Brasil, somada aos inconvenientes de aumentar a geração térmica, renova o debate sobre os rumos do setor energético nacional. Segundo especialistas da área, uma alternativa para reduzir o risco de apagões e o custo – econômico e ambiental – da produção de energia no país revela-se a microgeração e geração distribuída. Este modelo tem potencial para atrair investimentos de R$ 48,9 bilhões até 2030 e pode representar 8% da matriz energética brasileira, estima estudo da consultoria DNV Kema encomendado pelo Instituto Abrade de Energia.

O que pouca gente sabe é que gerar a própria energia não requer uma hidrelétrica inteira, por exemplo. Pode-se fazê-lo de casa, da escola, na universidade ou mesmo em uma fazenda. Os microgeradores eólicos (pequenas turbinas que usam a força dos ventos para gerar energia) já são uma realidade no exterior e começam a ganhar espaço no Brasil. De acordo com o diretor da Enersud, Luiz Cezar Pereira, a regulamentação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para microgeração mostra-se um avanço importante para a popularização da geração residencial de energia:

"A regulamentação da Aneel, que permite a microgeração por consumidores domésticos, abriu oportunidades sem precedentes. O mercado brasileiro pode absorver algo em torno de mil turbinas eólicas de pequeno porte por ano”, projeta o engenheiro.  “Há ainda a configuração híbrida, com a associação de turbinas eólicas a placas solares”, acrescenta.

A Resolução da Aneel para a microgeração, anunciada em dezembro de 2012, determinou  as condições para se operar a microgeração de energia elétrica, conectada aos sistemas de distribuição do país. Quem decide gerar a própria energia (com placas solares ou aerogeradores) pode injetar na rede da distribuidora o excedente não consumido. Em contrapartida, a distribuidora oferece desconto na conta de luz proporcional ao injetado na rede pela “unidade consumidora”.

Apesar dos potenciais benefícios da geração distribuída, como reduzir a carga na rede, a dependência de térmicas e os gastos com a conta de luz, a microgeração ainda engatinha no Brasil. Segundo o consultor da Enersud e professor da Coppe/UFRJ, Maurício Arouca, o modelo depende ainda de incentivos do governo para decolar:


"A partir do momento em que as instituições governamentais utilizarem a energia limpa em prédios ou em escolas, o custo diminuirá. Nos EUA, quem instala painéis solares ou uma usina eólica em casa tem desconto de 30% no imposto de renda e redução no valor do IPTU", compara Arouca.

Sobre a Enersud


A Enersud é especializada no fornecimento de soluções alternativas de energia. No mercado há 12 anos, a empresa pesquisa, desenvolve e fabrica equipamentos voltados para a geração de energia a partir de fontes renováveis para pequenos consumidores. Os equipamentos utilizam tecnologia de ponta, 100% nacional, com alto índice de inovação e patentes próprias.  Para isso, conta com parcerias de universidades e centros de pesquisas em diversas regiões do Brasil.